uma família (realmente?) numerosa 3

sexta-feira, junho 13, 2014


"Com tantos filhos, como é que fazes com as birras?!" Ok, aconteceu-me uma gira há umas semanas.

Fui com os meus rapazes C. e T., de 9 e 4 anos, ao cabeleireiro (o pequenino T. ainda não tem um ano e meio, por isso ainda não está na categoria rapaz). A bem dizer, não fui a um cabeleireiro cabeleireiro, é um salão montado num anexo na própria casa da cabeleireiro. Mas vai dar ao mesmo. É o sítio onde costumo ir com eles. Primeiro, porque não me ajeito a fazer os cortes curtos que ficam tão bem ao mais velho. Segundo, porque o mais novo não pára quieto. Então lá fomos. Sexta-feira à tarde.
Então. O primeiro foi o mais velho. Enquanto eu tomava conta do outro, no jardim, a baloiçar-se, o mais velho ficou com um corte novo todo pimpão. Chegou a vez do T. A cabeleireira pôs uma almofada gigante na cadeira de lavar o cabelo e eu ia ajudá-lo a sentar-se. "Não quero cortar o cabelo!" Isto assim dito com alguma veemência. A cabeleireira já está habituada a cenas como esta, porque tem um filho quase da mesma idade e porque faz cortes de cabelo a muita criançada. Calmamente, explicou algo com que o tentava convencer a sentar-se. Ele repetiu a mesma frase, agora com cara de "olha para mim a querer fazer uma birra". A cabeleireira puxou de outros trunfos. Entretanto, senti-me iluminada, qual buda ex-combatente de guerra, e disse: "Não queres, não queres. Vamos embora."
Ainda acrescentei, mais para a cabeleireira do que propriamente para o T.: "É sexta-feira à tarde, não merecemos isto." Ela fez uma cara assim de "tudo bem, a mãe é que sabe, para mim é igual". Mas para mim não era igual! Bolas! Há lá paciência para birras!? Só porque tenho 4 filhos não quer dizer que aguento! 
Fui-me embora com os rapazes. No caminho para casa, de carro, fui lançando pela janela os restinhos de ira que ainda me queriam pôr a ralhar com o T. "Garanto-te que não volto a trazer-te aqui!" Vá, esquece lá isso, pensava eu, e cala-te de vez, mulher. Olha-me que mãe cobarde, desistiu, pensam vocês. E eu respondo: por uma coisa destas, garanto-vos, não valia a pena. Ao chegar a casa tinha muitas outras coisas que valiam muito mais a pena o chatear-me e combater as birras dele. Quais? O ajudar a pôr a mesa, ajudar a arrumar o quarto, lavar os dentes, ... querem mais?
Bom, moral da história: há dias, estava eu a escovar o cabelo, cada vez mais longo, do T., e ele a dizer que lhe estava a fazer impressão. Sem pensar, respondi: "Com o teu cabelo assim grande, temos mesmo de te pentear todas as noites, mesmo quando o lavas." Mas ele pensou, pensou bem e respondeu ainda melhor: "Quero ir cortar o cabelo!" Ah, ah, pode ser que um dia destes dê.... pode ser... Ele que espere... Enquanto isso vai-lhe valendo o look de surfista (e olhem que o cabelo dele é louro às madeixas, parece mesmo de propósito!).
:-D


Nome: Marta Filipe Alexandre
Blogue: http://martafilipealexandre.wordpress.com/
Facebook: https://www.facebook.com/marta.f.alexandre



Recomendamos a Leitura

0 comentários

Formulário de Contacto

Nome

Email *

Mensagem *