quero fazer sozinho!

terça-feira, novembro 04, 2014


Estou a ensinar-lhe a fazer malha. Finalmente comprei um novelo para ele e é a primeira vez que lhe empresto as agulhas. "Quero fazer sozinho!" resmunga, logo no início. Grr, só me apetece atirá-lo pela janela fora.

Pronto, confesso, estava convencida de que o meu encanto natural ia resultar. Depois da L. (quase quase 6 anos) e do C. (9 anos), os manos mais velhos, agora seria a vez do T. (4 anos e meio). Tinha que correr bem. Ainda por cima com lã super fixe e acabada de chegar a casa. Com um desenho tão giro na etiqueta. Pois.
Montei 15 malhas e fiz duas carreiras. Ready, set, go. Ainda estou eu a começar a mostrar-lhe como se enfia a agulha na malha e ele diz logo: "Quero fazer sozinho! Sem a tua ajuda." Então mas isto não era suposto ser uma atividade a dois? Sempre tão ciumento do que faço com os outros. Respiro fundo. E torno a tentar. "Quero segurar sozinho." Seja, deixo-o agarrar sozinho. Aquele momento em que, mesmo não querendo, não consigo deixar de pensar: ai ele não vai conseguir.
Este é um momento importante. Tanto para ele como para mim. Eu tenho de o deixar experimentar, tenho mesmo. E tenho de aprender a vê-lo errar, confundir-se, atrapalhar-se, enfim, aquilo que se diz que é não conseguir. Porquê? Porque é isso que eu própria faço, todos os dias e a toda a hora. Estou sempre a experimentar conseguir e enquanto não consigo vou experimentando. É assim a minha vida. Faz todo o sentido que também ele o faça.
Mas não é assim tão simples. Fico com os cabelos em pé quando o vejo enfiar a agulha de um lado ao outro do trabalho, sem agarrar nenhuma malha. Fico com o coração estarrecido quando o vejo largar a agulha para fazer a laçada. Ah e fico mesmo louca quando lhe cai tudo da agulha para cima do colo. Melhor parar. "Vamos guardar ali em cima e amanhã voltamos a pegar nas agulhas, pode ser?"


Parece que o episódio teve um fim bastante tranquilo. Só que é aparência. Lá fica ele a rebolar-se pelas almofadas, ou a marrar como diz a minha amiga N. a falar do seu pequenote. Lá fico eu a matutar que difícil que é lidar com a frustração. Uma e outra vez. Uma e outra vez. Nenhum dos outros manos que eu comecei a ensinar há mais tempo faz malha propriamente dita, Eu é que me quero convencer que estou a ensinar. Mas é assim. Vou experimentando, mesmo sem conseguir. Quero fazer sozinha!


Nome: Marta Filipe Alexandre
Blogue: http://martafilipealexandre.wordpress.com/
Facebook: https://www.facebook.com/marta.f.alexandre


Recomendamos a Leitura

0 comentários

Formulário de Contacto

Nome

Email *

Mensagem *